Seu cliente pode comprar mais!

tmFaça cada cliente gastar mais e ainda sair feliz do seu restaurante com essas dicas simples!

O setor de alimentação fora do lar vem passando por uma forte mudança de paradigma ao longo dos anos. Comer fora de casa deixou se ser um ato de “comer sem precise cozinhar” e passou a ser uma “experiência completa de entretenimento”.

A alguns dias publicamos um post sobre construção de marcas e introduzimos alguns conceitos para criar e reforçar a sua marca para transformar o consumo em uma experiência única, fazendo com que  o cliente diferencie seu restaurante dos demais concorrentes.  Essa diferenciação faz com que o por um lado o cliente consuma mais (pois tudo no restaurante está preparado para isso) e por outro ele perceba um maior valor, aceitando pagar um pouco mais pelo serviço.

A média do consumo dos clientes em um restaurante é chamado ticket médio, ou seja, quanto cada pessoa consome em média no restaurante. Aumentar  o ticket médio pode se basear em duas premissas: aumentar o consumo e aumentar a percepção de valor do seu serviço.

Aumentar  o consumo diretamente
Prepare seu restaurante para que  o cliente tenha a possibilidade de gerar mais lucro consumindo mais diretamente no seu restaurante.

  • Foco no Processo: Passe algumas horas por dia avaliando o comportamento dos clientes no seu restaurante. Veja quanto tempo demora até que ele encontre uma mesa, quanto tempo ele leva pra fazer o pedido,  quando tempo o pedido demora para chegar até a mesa,  quanto tempo demora a conta e o troco. Faça uma tabela com esses tempos e ache a média de cada etapa, foque em reduzir esses tempos nos dias de grande movimento. (A não ser que trate-se de um bar, onde quanto mais tempo o cliente passa melhor). Os hábitos de consumo normalmente se repetem, o cliente chega, pede alguma entrada/bebida, pede o prato principal e a sobremesa no final. Repare no extrato dos clientes que a maior parte do valor da conta está concentrada no prato principal e nas bebidas.
  • Engenharia de Cardápio: Você já ouviu esse termo antes? Saiba que a decisão de compra passa por fatores racionais e fatores emocionais, uma compra feita usando mais o lado emocional tende a ser uma negócio mais lucrativo para quem vende! O cardápio é um fator que pode ajudar a pesar a balança para o lado emocional, apelando para o subconsciente dos clientes.  Procure um profissional para ajudar nessa tarefa, mas algumas dicas básicas podem ser seguidas- Retire os símbolos monetários (R$): Um valor expresso com os símbolos monetários do lado, inconscientemente nos faz percebermos que estamos gastando dinheiro. Coloque no rodapé da página em letras pequenas, mas legíveis: “Valores expressos em reais”.- Comece sempre o cardápio com produtos mais caros, mesmo que a intenção seja não vender esses pratos. Isso serve para que após ver um prato mais caro, achemos que todos os outros são um excelente negócio.- Faça “Bracketing” dos pratos:  Essa técnica consiste em ter pelo menos dois tamanhos de pratos, onde a diferença de preços da porção pequena para a grande faz com que seja mais “vantajoso” para o cliente que ele escolha o prato maior.- Atenção a “área nobre” do cardápio: Nós, ocidentais, começamos a leitura do lado esquerdo para  o direto, de cima para baixo, então o canto superior esquerdo costuma ser o foco da atenção inicial dos clientes. Destaque ali os produtos que você pretende vender mais.
    – Capriche na Descrição dos itens. Escreva um parágrafo sobre cada prato, usando adjetivos que o caracterize. Pratos com descrição bem feitas vendem mais do que simples mente o nome do prato/valor.
  • Crie o Ambiente: O fator ambiental sem dúvida faz com que nossas emoções tomem conta das nossas decisões, então preste atenção nos seguintes itens:- Som: Quem é responsável por selecionar as músicas que tocam no seu estabelecimento? Existem profissionais capacitados para criarem e atualizarem mensalmente uma “playlist” com músicas cuidadosamente escolhidas para o bem estar do cliente. Seu restaurante recebe famílias inteiras, nada de tocar músicas de duplo sentido! E mais, músicas clássicas, bossa nova, jazz, fazem os clientes consumirem mais do que músicas pop!- Iluminação: Luzes quentes deixam o ambiente mais aconchegante. Estudos de especialistas apontam que um ambiente com luzes próximas ao amarelo, de intensidade média, fazem o cliente ter uma percepção de ambiente refinado e incentivam o consumo. Aqui entra o trabalho de um arquiteto. Contrate um profissional especializado em ambientação para que ele cuide desses detalhes.- Espaço para os pequenos: Com um pequeno investimento você faz com que os pais “esqueçam” dos pequenos e consumam com mais tranquilidade! Aqui na minha cidade frequento um restaurante que nos fins de semana, monta um “cercadinho” de 2m x 2m, com uma monitora lá dentro criando brincadeiras de pintura, pintando “tatuagens” nas crianças. Sempre que estamos discutindo para onde ir, minha filha de 3 anos já determina: – Vamos para o restaurante do cercadinho! Reserve uma área do cardápio para eles, com pratos mais divertidos e em quantidade menor e de valor atraente (os pais sempre irão pedir esses pratos adicionais).

E você o que achou dessas dicas? Gostaria de acrescentar algo? Use os comentários abaixo e compartilhe sua expediência com a nossa comunidade!

Comentários

comentários